Como foi a 1ª edição do 'Agenda Minas' em Varginha

Discussão sobre cidade criativa apresenta ideias que buscam apresentar soluções para problemas da cidade

    • ACidadeON
    • Da reportagem
Divulgação
A economista e consultora da ONU, Ana Carla Fonseca (Foto: Divulgação)

 

Varginha foi a primeira cidade do Estado a receber o fórum Agenda Minas. O Poder Público, a comunidade e instituições de fomento ao empreendedorismo se reuniram para ouvir e debater ideias que podem transformar uma cidade inteira. Para isso, a principal dica é pensar juntos e ser criativo, principalmente em tempos de crise econômica.

A palestrante foi a economista, escritora e consultora da ONU, Ana Carla Fonseca, referência mundial quando o assunto é economia criativa.

Participaram das discussões o professor de arquitetura e urbanismo, Wesley Medeiros, o gerente regional do Sebrae Minas, Juliano Cornélio, e o sociólogo Renato Clepf.

O Agenda Minas é realizado pela Oceano Azul, com apoio Institucional da EPTV e patrocínio do Governo de Minas Gerais.

Autoridades destacam importância do seminário

Na abertura do Agenda Minas, o gerente Regional da EPTV, Paulo Brasileiro, falou da satisfação de iniciar esse projeto no Sul de Minas, contribuindo para o desenvolvimento das cidades e com a qualidade de vida da população. “A EPTV tem esse papel de contribuição para a melhoria das regiões onde estamos inseridos”.

O momento de abertura teve ainda as participações do vice-prefeito de Varginha, Vérdi Lúcio Melo, que parabenizou a iniciativa, dizendo que as “ideias criativas são muito importantes para aperfeiçoar a gestão pública e otimizar os recursos a favor da população”. Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal, Zacarias Piva, lembrou que Varginha é uma cidade-polo, que recebe pessoas da região, que vão em busca de seus sonhos de estudo e/ou trabalho.

A palestra Cidade Criativa

Em sua palestra do primeiro Agenda Minas, a economista Ana Carla Fonseca mostrou exemplos de cidades do mundo que despertaram para a importância de usar a criatividade para se desenvolverem ou se transformarem, diante de um cenário de estagnação econômica.

Ana Carla afirma que não é a cidade que é criativa, mas o seu povo, seus moradores. E, segundo ela, é preciso que as pessoas saiam do isolamento dos bairros onde vivem, trabalham e estudam. Têm que pensar a cidade como um todo. “Quanto mais criativos são os cidadãos, mais a cidade se beneficia disso”.

Debate e troca de ideias

“A base da economia criativa é a troca de ideias. A cidade deve criar mecanismos para as pessoas se encontrarem”, afirma Ana Carla.

No Agenda Minas isso ocorreu durante o fórum. Em Varginha, a discussão reuniu, além da economista e consultora da ONU, o gerente regional do Sebrae, Juliano Cornélio, o professor de arquitetura e urbanismo, Wesley Medeiros, e o sociólogo Renato Clepf. Cada um teve um tempo para expor suas ideias.

Para o gerente do Sebrae, entidade que fomenta o empreendedorismo, o desenvolvimento pode vir da colaboração dos setores da sociedade. Em resumo, é preciso pensar simples. “As coisas estão perto da gente. Basta um movimento colaborativo”, disse Juliano Cornélio. Segundo ele, Varginha tem movimentos importantes nas áreas de cultura e empreendedorismo, mas não há integração.

O professor de arquitetura e urbanismo, Wesley Medeiros, tem observado a cidade, principalmente a periferia. Para ele, falta infraestrutura nos espaços de desejo dessa população que quer um lugar para lazer nos finais de semana. “São apenas espaços de desejo. As pessoas, os jovens vão até lá, mas encontram locais sujos, sem iluminação, sem um banco para se sentar e tocar seu violão”, diz Wesley Medeiros.

O sociólogo Renato Clepf entende que o desenvolvimento de uma cidade contribui para o crescimento de outras cidades vizinhas a ela. Nesse sentido, diz ele, os investimentos são feitos em ambos os lados.
A plateia presente no seminário também pôde participar com perguntas e sugestões para tornar Varginha mais criativa.

Café e ET

Varginha tem grandes potenciais. Já é uma cidade polo no Sul de Minas. Mas para os debatedores, existem potenciais que ainda são pouco explorados dentro do que podem produzir de positivo para o local, como o café e o ET.

Agenda Minas em outras cidades

O fórum Agenda Minas vai passar por outras quatro cidades do Sul de Minas. Poços de Caldas (22/9), Passos (20/10), Pouso Alegre (24/11) e Itajubá (8/12).
 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.